domingo, 4 de dezembro de 2011

Ondina




Ondina

(Sonetex)


Perco-me entre o azul do pensamento
E os sonhos do verde intenso do mar
Mas guardo o doce rubro momento
Do beijo de cereja a saborear.

Eu misturo os tons para me alegrar
Nascendo no meu corpo um temporal
Sinto-me tal um barco a naufragar
Procuro a estrela norte sem achar
Sou como Ondina vagueando imortal
Nas ondas do desejo a me banhar.

Nessa busca infinita tão sensual
Despida de cores e sabores
Faço do amor um mágico ritual
Esqueço todos os amargores.

Ao te olhar e mergulhar fundo em ti
Encontro afinal o meu norte ali.


Lully

Conheça as regras do Sonetex clicando no link abaixo.
Sonetex


6 comentários:

Pedro disse...

Parabéns Lully pelo espaço. Achei bastante interessante e, quanto a sua poesia...ela é otima.

Lully disse...

Olá Pedro, mas que bela e gratificante surpresa vê-lo aqui, fiquei muito contente, obrigada!

Eduardo disse...

Lindo ...paixão ,amor e sensualidade juntos !!

Lully disse...

Olá Eduardo, é muito bom vê-lo aqui e participar, muito obrigada e venha sempre!!
Abraços

Lully

Anna D'Castro ou... disse...

Lully

Adorei o lirismo contido neste belo poema.

Mais um colirio para os nossos olhos e momento de sonho.

Beijos.
Anna

Lully disse...

Anna querida é sempre um presente ter a sua presença aqui!! Muito obrigada, beijos